fbpx

Bisfenol A: Conheça seus possíveis riscos

| Julia Marques • 13/05/21

O Bisfenol A, também conhecido por BPA, é um composto utilizado para produzir plásticos, estando presente em recipientes alimentícios, como as embalagens plásticas.

Embora esteja presente na composição do plástico, quando o material é exposto às temperaturas elevadas, pode oferecer riscos à saúde.

Quer entender melhor sobre esse material?

Acompanhe o nosso artigo para evitar que os benefícios dos seus alimentos sejam afetados pelo Bisfenol A.

Tipos de Bisfenol

O Bisfenol tem como base principal os fenóis e, por isso, existe em diversas versões: o Bisfenol A, Bisfenol B, Bisfenol AF, Bisfenol C, Bisfenol E, Bisfenol AP, Bisfenol F e Bisfenol S.

Entretanto, os que se destacam são os tipos A, S e F, também chamados de BPA, BPS e BPF, respectivamente. E essas substâncias estão presentes nos mais diversos materiais e produtos comercializados.

Bisfenol A

O Bisfenol A é um composto presente em plásticos de policarbonato e em resinas epóxi, fazendo parte de embalagens, garrafas de água, recipientes plásticos, latas de conserva e até na água armazenada em galões de policarbonato, além de várias outras aplicações.

Mas após os estudos comprovarem prejuízos para a saúde e meio ambiente, houve uma série restrições para o seu uso. Por isso, no Brasil, a Anvisa proibiu o uso de BPA em mamadeiras e restringiu a migração da substância de embalagens para alimentos a 0,6 mg/kg.

Bisfenol S e Bisfenol F

Após as restrições ao BPA, foram desenvolvidos dois substitutos: o BPF e BPS. O problema é que ambos são prejudiciais à saúde e ao ambiente.

Entretanto, a diferença é que o BPF e o BPS são amplamente utilizados sem restrição em produtos de limpeza, solventes, recibos de papel, revestimentos epóxi, plásticos, canos de água, embalagens de alimentos e diversos outros produtos.

O que é Bisfenol A?

O Bisfenol A, também denominado de p-isopropilenodifenol, é um composto orgânico formado pela união de dois grupos fenóis com uma acetona.

Portanto, a substância é usada em reações de polimerização de condensação com o fosgênio, visando formar o polímero policarbonato (PC), material transparente semelhante ao vidro com alta resistência ao impacto.

Entretanto, a aplicação do composto passou a ser alvo de polêmica. Isso porque, alguns estudos apontaram que o Bisfenol A é um desregulador endócrino que, em altas doses no organismo, poderia estar associado aos casos de câncer, infertilidade, obesidade, alterações no sistema reprodutivo e hormonal.

Além disso, as pesquisas descobriam também o desenvolvimento neurológico específico ao sexo, ansiedade, alterações nas glândulas mamárias e próstata. Assim, diversos países iniciaram mais pesquisas sobre o assunto.

Como identificar o BPA nas embalagens?

Para identificar os produtos com BPA  é importante observar nas embalagens a presença do nº 7 inserido dentro do símbolo de reciclagem, pois representa que o material contém bisfenol.

Os produtos plásticos que mais contêm a substância são: recipientes de plástico, utensílios de cozinha, mamadeiras, eletrodomésticos, CDs e brinquedos.

Portanto, para diminuir o contato com o bisfenol A, a recomendação é utilizar plásticos sem BPA, ou BPA free, em especial para embalar comida.

Riscos do Bisfenol A para a saúde

Os possíveis riscos do Bisfenol A para a saúde vêm sido analisados. Segundo alguns estudos, o BPA pode aumentar o risco de:

Problemas gastrointestinais

Quando consumido, o Bisfenol A tem contato com o trato gastrointestinal e possibilita o aparecimento de doenças inflamatórias.

Além disso, em casos mais graves, provoca o aparecimento de câncer no estômago e intestino.

Alterações hormonais

O BPA pode causar alterações hormonais que diminuem a produção de espermatozoides e aumentam o risco de câncer na próstata. Entretanto, já nas mulheres, aumenta o risco de aparecimento de cistos nos ovários e câncer de mama.

Déficit de atenção e hiperatividade

Contudo, o consumo de Bisfenol A pelas crianças pode provocar alterações de comportamento como desatenção e a hiperatividade e, em alguns casos, pode facilitar crises de ansiedade e o aparecimento de depressão.

Malformação do embrião

A exposição da mulher grávida ao Bisfenol A pode provocar malformações no bebê, que acabam resultando no mau desenvolvimento dos órgãos, diminuição dos batimentos cardíacos e até no aborto espontâneo.

Como descartar?

O descarte de produtos contendo BPA pode ser um problema. Afinal, caso sejam descartados incorretamente, começam a liberar a substância no ambiente podendo contaminar os lençóis freáticos, solos e a atmosfera.

Dessa forma, podem prejudicar o solo, impactando a produção de alimentos, recursos hídricos e também prejudicar pessoas e animais gravemente.

Mas, por outro lado, caso o material seja destinado à reciclagem, dependendo do tipo, poderá proporcionar impacto ainda maior. Pois a reciclagem incentiva a permanência da substância no meio ambiente.

Sendo assim, uma opção para reduzir esse material, quando não for possível zerar o consumo, é descartar da seguinte forma: reunir os produtos que contenham Bisfenol, embalá-los em sacolas não-biodegradáveis, para evitar o vazamento, e destiná-los em aterros seguros e corretos para o descarte.

Embalagem BPA Free da Cetro

O plástico Nylon Poli é frequentemente utilizado em embalagens a vácuo, em que o objetivo é retirar todo o ar ao redor do produto durante a selagem.

A embalagem em Nylon Poli aumenta o tempo útil do produto embalado. Assim, protege e conserva os produtos que necessitam de vácuo.

Dessa forma, diminui o risco de contaminação e espaço ocupado no armazenamento dos alimentos.

Entre os benefícios destacam: resistência a cortes, evita a perda de líquidos e possui barreira contra óleos.

Dentro das possibilidades de utilização desse material, temos dois tipos de embalagens, cada uma para um tipo de produto. Confira:

Embalagem Lisa

As embalagens lisas para vácuo da Cetro são produzidas com alta tecnologia em Nylon Poli, seguindo padrões de qualidade internacional.

Além disso, são livres de bisfenol A, possuem 12 micras3 barreiras de proteção.

Embalagem Gofrada

As embalagens gofradas para vácuo da Cetro são produzidas com alta tecnologia em Nylon Poli, seguindo padrões de qualidade internacional.

Além disso, são livres de bisfenol A, possuem 12 micras3 barreiras de proteção.

embalagens

E se você quer empreender com os equipamentos corretos e contar com uma assistência completa para qualquer lugar do país, saiba que a Cetro oferece soluções completas para automatizar sua produção de maneira prática e rápida.

Continue acompanhando o Blog da Cetro para novos conteúdos que podem contribuir com seu crescimento pessoal, profissional e empresarial.

Cadastre-se em nossa newsletter e fique sabendo das novidades em seu e-mail!